Luciaadverse's Blog

junho 12, 2011

O PODER DA ARTE

De vez em quando, deixo aqui no blog uma indicação de algum livro que acho interessante. Dessa vez, gostaria de recomendar  “O PODER DA ARTE” de Simon Schama. Normalmente os livros de arte abordam de uma maneira geral a vida e a obra dos mestres da pintura, nesse o autor tem uma abordagem mais intimista, onde leitor faz um mergulho na personalidade e nas angústias dos artistas. Não se trata de um livro tradicional de história da arte, mas uma narrativa que nos faz reviver o drama da criação e a inquietude revolucionária dos 8 gênios da pintura abordados nesse livro. São eles: CARAVAGGIO, BELLINI, DAVID, REMBRANDT, TURNER, VAN GOGH, PICASSO E ROTHKO.

Com cerca de 500 páginas, a impressão do livro e capa é de altíssima qualidade. A única desvantagem que encontrei foi o peso para carregá-lo durante o dia ou em viagens.

Com certeza é imprescindível sua aquisição para quem gosta de arte. O meu exemplar comprei na Livraria Mineiriana.

R. Paraíba, 1419

Savassi

[+55 31] 3223 8092

 

 

Anúncios

março 5, 2011

Brassaï conversas com Picasso

Da Editora Cosac & Naify, o Livro “Brassaï CONVERSAS COM Picasso” é uma leitura que recomendo enfaticamente. Trata-se de um relato sobre o período em que o fotógrafo Brassai tornou-se amigo de Pablo Picasso e registrou sua obra para um livro de arte. Picasso admirava a maneira como Brassaï conseguia registrar suas esculturas e dizia que ele fazia isso como ninguém. Uma certa vez , no auge da Segunda Guerra Mundial,  o artista espanhol impôs o fotógrafo ao editor que faria um livro com o registro de suas esculturas.

Picasso ficava horas diante de Brassaï, observando o fotógrafo trabalhar e se divertia com sua técnica. Apelidava Brassaï de “terrorista” todas as vezes que se assustava com as explosões provocadas por pó de magnésio que era utilizada como método de iluminação para fotografar suas esculturas.

Abaixo reproduzo o divertido e interessante diálogo entre essas duas grandes personalidades durante uma sessão de fotos:

PICASSO: Não compreendo… Como sabe qual será o resultado? Não tem nenhum meio para julgar o efeito de sua iluminação… (diz isso diante aos disparos explosivos com pó de magnésio)

BRASSAï: Calculo-a… Por que não emprego projetores? É que múltiplas fontes de luz produzem sombras entrecortadas, confusas. Prefiro a luz de uma única fonte e suavizo as sombras de seus reflexos com anteparos.

PICASSO: Mas por que as esculturas são tão raramente bem fotografadas? (se referindo ao trabalho de outros fotógrafos)

BRASSAï: Não sei que estúpida tradição exige que uma estátua clara seja colocada contra um fundo escuro e uma estátua escura contra um fundo branco… Isso as destrói. Elas são como que achatadas e não podem mais respirar no espaço… Para que uma escultura ganhe toda a sua presença, suas partes iluminadas devem permanecer mais claras que o fundo, e suas partes escuras, mais escuras… É simples…

PICASSO: É a mesma coisa para o desenho: sobre um fundo cinza ou bege, coloca-se branco para a luz e preto para as sombras… Se essa plasticidade não interessa mais à pintura, ela se impõe à fotografia quando esta quer dar o máximo de relevo a uma escultura…

Enfim, diálogos como esse acima,  dão uma aula de fotografia e arte. Recomendo à todos!

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.