Luciaadverse's Blog

maio 19, 2013

Universo Curvo – Cloitre des Billettes

No último dia 2 de maio, inaugurou no Cloitre des Billettes, Paris, França, a minha exposição individual intitulada Universo Curvo. O local, trata-se de um Mosteiro Luterano, datado sua construção em 1294. É o único edifício medieval no coração da cidade, localizado bem próximo ao Hotel de Ville.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-1

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-2

A exposição ficou belíssima, muito bem organizada pela Galeria Ricardo Fernandes. Fiquei muito feliz com o resultado e com a crítica positiva.

O diretor responsável pela curadoria do Cloitre des Billettes, Thierry Renaudin-Viot, também diretor do Museu Victor Hugo (Place des Voges), elogiou como as obras tiveram uma sintonia perfeita com a arquitetura do mosteiro. “Além da textura das paredes e das obras comporem harmoniosamente, as curvas dos arcos góticos combinam com o conceito do trabalho da artista.” Completa Marc Soléranski, historiador e professor de história da arte em Paris.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-6Para completar, a luz natural projeta sombras dos arcos por todos os corredores do edifício, onde estão expostas as obras, sendo alternados de acordo com o horário do dia. Presente divino!

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-3

Essa série de fotos criadas em 2011, propõe uma homenagem ao arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer que ficou mundialmente conhecido pelos seus inesquecíveis projetos curvos. Através de imagens abstratas, faço uma releitura, não somente do universo da forma da arquitetura de Niemeyer, mas também faço referência ao espaço sideral e aos elementos da natureza, como as montanhas, o curso sinuoso dos rios e o litoral do meu país, os mesmos elementos tanto referenciado e mencionado pelo arquiteto durante sua trajetória artística.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- vernissage-4

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- vernissage-6

As 20 fotografias que integram essa série, têm nomes escolhidos de acordo com os elementos citados que inspiraram o meu trabalho.

A sensualidade presente nas formas curvas e também destacada na célebre frase do arquiteto (citada abaixo), foram motivo da escolha de palavras femininas como títulos de cada imagem que compõe a série.

“Não é o ângulo reto que me atrai. Nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do meu País, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, nas nuvens do céu, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o Universo – o Universo curvo de Einstein.”

Oscar Niemeyer

dupla blog

A cor azul predominante em toda a série de fotos, remete a cor do céu, do mar, também muito utilizada por Niemeyer em seus projetos, como o painel criado pelo artista Cândido Portinari, na Igreja São Francisco de Assis, Pampulha ou o painel de azulejos do artista plástico Athos Bulcão, pertecente a Igreja Nossa Senhora de Fátima em Brasília. Ambas construções foram tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

dupla blog 2

No dia seguinte da abertura, consequentemente o primeiro dia da exposição, retornei ao mosteiro e fiquei durante algum tempo fotografando. Foi gratificante ter a oportunidade de observar a reação do público diante do meu trabalho. Esse retorno é imprescindível para o artista e registrei a interação das pessoas com as obras.

apaixonada

praia

sinuosa - noite estrelada

alegria e

Também foi divertido ver as pessoas se fotografarem junto com as obras.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-11

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-19

Para terminar, gostaria de agradecer o marchand e crítico de arte Ricardo Fernandes que levou a série Universo Curvo ao conhecimento do curador Thierry Renaudin-Viot.

Também não poderia deixar de agradecer o apoio incondicional da minha família e de meus verdadeiros amigos ao meu lado nessa jornada.

Ao professor Marc Soléranski, o meu mais sincero reconhecimento e gratidão pelo brilhante texto escrito sobre a minha trajetória artística.

A exposição Universo Curvo, fica em cartaz até dia 31 de maio no Cloitre des Billettes.

24, rue des Archives

75003 Paris

Metro: Hôtel de Ville

Mapa

Avisem seus amigos que estiverem em Paris, ficarei muito honrada com a visita!

agosto 26, 2012

TOUCHER POUR VOIR?

No dia 5 de setembro, inaugura na Cloître des Billettes, (Paris –  França), a emocionante exposição do artista Adelio Sarro direcionada aos deficientes visuais.

Considerada a primeira exposição de arte contemporânea acessível a deficientes visuais, nasceu do desejo do artista brasileiro Adélio Sarro, permitir que pessoas com  esse tipo de deficiência tenham a oportunidade de compreender e acessarem o seu trabalho.
Adélio Sarro desenvolveu o seu próprio método para tornar sua arte acessível através da percepção tátil. O contorno das suas pinturas são em relevo, assim como o alfabeto Braille e auxiliam na compreensão dos visitantes. Além das figuras, o expectador também pode tocar e sentir  as cores representadas pelas diferentes texturas e relevos que compõem as obras.

 

O artista:

Nascido em 1950, Andradina, SP,  é filho de agricultores de origem italiana e portuguesa. Desde tenra idade demonstrou inclinação e gosto para o desenho.

No início da carreira deslumbrou-se com a obra de Cândido Portinari e inspirou-se nesse artista. No começo teve grande dificuldade, fazia, refazia, destruia o próprio trabalho em busca de chegar a um nível satisfatório para si mesmo. Na década de 70,  o artista começou a expor seus trabalhos nas feiras de domingo realizadas na Praça da República no centro de São Paulo. Não era o local mais ambicionado pelos pintores, mas lá ganhavam visibilidade, clientes – inclusive turistas estrangeiros, faziam amizade e trocavam experiências com outros artistas. Também ali surgiam oportunidades de novas exposições que o artista soube aproveitar. Assim aconteceram, a partir de 1973, participações em mostras coletivas e individuais em São Paulo, Limeira, Piracicaba, Santos e mais outras dez cidades brasileiras.

Tornando-se cada vez mais conhecido em 1981, Adélio Sarro foi convidado para organizar seis diferentes mostras no Japão, era seu batismo como pintor internacional. Dois anos depois foi para a Itália e, nos anos seguintes, o Japão novamente, Uruguai, Argentina, França, Estados Unidos, Portugal, Nicarágua, Suíça, Alemanha, Bélgica, Noruega, Cingapura e Austrália.

Ganhando notoriedade como artista, Adélio Sarro foi desenvolvendo técnicas novas, atendendo encomendas de instituições públicas e privadas. A primeira instituição que lhe encomendou um trabalho de grande formato foi a Federação da Agricultura do Estado de Goiás para a qual, em 1984, Sarro pintou um painel de dois metros e meio por seis.

A exposição acontece na Cloître des Billettes, em um magnífico mosteiro em Paris, com curadoria de Thierry Renaudin. A organização da amostra é do seu marchand Ricardo Fernandes, proprietário da Galerie Ricardo Fernandes.

Localização: 24 rue des Archives

Metrô: Hotel de Ville

Paris, França

Data: De 3 de setembro a 3 de outubro de 2012.

Blog no WordPress.com.