Luciaadverse's Blog

março 31, 2014

Convite Exposição: Der Sturm

Essa é a última semana da exposição: “Der Sturm”, no Museu Inimá de Paula em Belo Horizonte.

A mostra fica somente até o dia 6 de abril, domingo. Não deixem de ir!

Endereço: Rua da Bahia, 1201 – Centro

Próximo a conexão aeroporto da Avenida Álvares Cabral.

Horário de funcionamento do Museu:

terça – quarta – sexta – sábado: 10:00 às 19:00 horas

quinta: 12:00 às 21:00 horas

domingos: 12:00 às 19:00 horas

>>ENTRADA FRANCA<<

Imagem

 

Imagem

Anúncios

março 30, 2014

Der Sturm, A exposição

Aqui nesse post, algumas fotos da exposição “Der Sturm” , em português,  A Tempestade, expostas no Museu Inimá de Paula, no período de 7 de março a 7 de abril de 2014,  com a curadoria de Ricardo Fernandes.

DER STURM MUSEU BLOG-2

DER STURM MUSEU BLOG-4

DER STURM MUSEU BLOG-5

DER STURM MUSEU BLOG-7

Captura de Tela 2014-03-25 às 20.57.17

DER STURM MUSEU BLOG-8

DER STURM MUSEU BLOG-9

DER STURM MUSEU BLOG-11

DER STURM MUSEU BLOG-10

Abaixo, observe detalhe projeção:

DER STURM MUSEU BLOG-13

DER STURM MUSEU BLOG-14

DER STURM MUSEU BLOG-15

 

Projeção instalação, clique na imagem abaixo e veja o filme “Der Sturm”:

Captura de Tela 2014-03-25 às 20.44.07

 

 

Organização:

Captura de Tela 2014-03-25 às 21.17.38

 

 

 

LOGO Cultivarte

 

 

 

 

 

 

Apoio:

Captura de Tela 2014-03-25 às 21.10.20

 

 

 

 

 

Captura de Tela 2014-03-25 às 21.10.29

 

 

 

 

 

Captura de Tela 2014-03-25 às 21.10.35

 

 

 

 

Captura de Tela 2014-03-25 às 21.10.42

 

 

 

 

Captura de Tela 2014-03-25 às 21.10.47

março 22, 2014

Projeto NOIR

 
Devido ao grande interesse dos visitantes, na exposição ‘Der Sturm” no Museu Inimá de Paula, senti a necessidade de compartilhar com o público, o meu projeto inspirado no cinema Noir.
 
Projeto Noir
 
“A arte sempre oscilou entre a reflexividade e a ilusão.”
 
Robert Stam

Imagem

Der Sturm, Berlim

Talvez pela influência da minha formação, tenho um grande interesse pela fotografia arquitetônica.
 
A forma, o estilo e características da construção de uma cidade estão intrinsecamente relacionadas com a sua história. Se observarmos com atenção a arquitetura de uma cidade, ela diz muito a respeito da cultura e do modo de vida de seus habitantes.
 
Em 2008, registrei as primeiras fotos de arquitetura de Nova York pertencentes a esse trabalho, concluído somente em 2013, sendo que a opção de tratamento dessas fotografias foi toda em preto e branco.
 
Posteriormente, observei que o contraste das sombras com o tratamento em preto e branco, lembravam um pouco a dramaticidade das luzes do Cinema Noir, estilo de filme que sempre impressionou-me, seja pela luz contrastada utilizada nas filmagens, seja a teatralidade da temática.
 
 

Imagem

Nosferatu, 1922 – Friedrich Wilhelm Murnau

Iniciei imediatamente uma pesquisa, além dos filmes, fazendo parte dos meus estudos, o movimento que foi precursor do estilo Noir, o expressionismo alemão e também as suas influências na pintura e na xilogravura.
 
 

Imagem

GOD’S MAN, A novel in Woordcuts, Lynd Ward

Retornei diversas vezes a Nova York. À essa altura, meu trabalho já estava mais direcionado e voltado para o tema. A captação de cada detalhe na arquitetura foi pensada de acordo com o tema Noir. Não seria minha intenção repetir integralmente o que foi demonstrado no cinema, apenas o essencial para a construção do meu novo trabalho. De acordo com James Monaco em American Film Now, “o filme noir não é um gênero em si, mas um estilo visual” e foi exatamente essa característica que serviu de base para o meu projeto.
 
 

Imagem

Cidadão Kane, 1941 – Orson Welles

“O cinema noir é marcado por uma estética de artifícios, a começar pela sua fotografia em preto e branco que foge ao naturalismo do mundo real que é policromático; aos cenários barrocos (essencialmente em Welles) ou teatrais; à iluminação dura, contrastada, sem meios tons; aos planos que oscilam entre clouse-up a profundidade de campo sem mediações, enfim, tudo nos remete à noção de estar num universo não-natural, de imagens dissimuladas, de cenários construídos. Nesse sentido o noir traz dentro de si, as marcas da representação e a fotografia será sua referência básica nesse cinema tão voltado para a estética do simulacro, da fragmentação e da repetição.
Os procedimentos expressionistas tais como sombras, olhares, gestos reforçam a predominância de uma estética de closes e fragmentos de objetos.
O cinema noir se revela como um cinema de “frestas”. É pelo viés que se espia e se descobre o que está oculto.
Esse reino do fake encontra-se sempre envolto numa constante cortina de fumaça, de neblina ou de chuva, onde a transparência é pouco percebida e as ações acontecem essencialmente sob o império da noite.
De forma similar, o cinema noir utiliza de iluminação artificial com grande eficácia: claro-escuro, preto e branco, visando obter alto contraste, eliminando os meios tons. Para compor um jogo de luz e sombras, numa atmosfera oscilante entre o visível e o invisível, reflexo de uma realidade ambígua, o noir, traz o espelho como elemento metaforizante na narrativa.”

(Cinema noir: espelho e fotografia. Márcia Ortegosa, 2010)

O Gabinete do Dr, Caligari

O Gabinete do Dr. Caligari, 1920 – Robert Wiene

O trabalho completo foi fotografado em 3 cidades: Nova York, Berlim e Paris, com planos de ainda integrar ao projeto uma cidade brasileira.
A cidade de Nova York foi o ponto de partida e recebeu o título de Metropolis”, palavra homônima ao filme do austríaco Fritz Lang (1927), que propunha uma realidade caótica urbana para o ano 2026. Uma cidade estratificada em que se pode reconhecer diferentes níveis sociais, cada um representado por uma determinada arquitetura. O edifício do cartaz do filme foi inspirado em NY, na década de 1920 e reflete o estilo Art Deco de arranha-céus da cidade.
 
 

metropolis-poster

 

Berlim foi o local onde iniciou-se o movimento expressionista, que tanto influenciou a estética do Cinema Noir.
Por esse motivo, planejei estender o projeto para a capital alemã. O nome da série, “Der Sturm”, em português, A Tempestade, vem da revista alemã vinculada ao Expressionismo Alemão e publicada em Berlim, criada em 1910 por Herwarth Walden, considerada a mais influente desse movimento artístico.
 
 

Der Sturm magazine (Composition) (ohne Titel (Komposition)) from the periodical Der Sturm, vol. 13, no. 1 (Jan 1923)

 
O cinema Noir, recebeu outras influências importantes do realismo poético francês (surgido no cinema francês à partir da metade da década de 1930), com seus temas de fatalismo, injustiça e heróis arruinados, e do neo-realismo italiano, com ênfase na autenticidade. O termo “film noir” foi inventado pelos franceses, críticos sempre astutos e fãs da cultura americana. Durante a ocupação nazista, a França havia sido privada dos filmes americanos durante quase 5 anos; e quando finalmente começaram a vê-los em finais de 1945, notaram não somente um escurecimento do ambiente, como também o próprio tema. Os críticos Nino Frank e Jean-Pierre Chartier escreveram em 1946 sobre estes filmes.
Em 1955, muito antes de film noir aparecer em qualquer livro de língua inglesa, Raymond Borde e Etienne Chaumeton escreveram sobre o tema. Os americanos não acompanharam os franceses na sua percepção e apreciação pelo Noir, até uma nova geração de entusiastas cinéfilos entrarem nas escolas de cinema no final de 1960.
É com essa justificativa, baseada no próprio nome dado a esse estilo marcante no cinema, que executei uma série de fotos também na cidade de Paris chamada: “Paris Noir”.
A intenção desse projeto, é reunir todo esse trabalho em um livro, com planejamento para 2016. Todo o projeto, mantinha-se inédito até o momento, quando surgiu a oportunidade de mostrá-lo parcialmente no Museu Inimá de Paula, em Belo Horizonte. Para a capital mineira foi escolhida a série Der Sturm”, com o apoio do projeto “Alemanha + Brasil 2013-2014” e curadoria do marchand Ricardo Fernandes.

 

Bibliografia:

Stam, Robert – O Espetáculo Interrompido: literatura e cinema de desmistificação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981

ARTE MODERNA / Giulio Carlo Argan – São Paulo: Companhia das Letras, 1992, capítulo três: O SÉCULO XIX NA ITÁLIA, ALEMANHA E INGLATERRA

espaços da arte brasileira, Goeldi / Rodrigo Naves –  São Paulo: Cosac & Naify Edições, 2002

FILM NOIR /Alain Silver & James Ursini/Paul Duncan (Ed.) – Lisboa: TASCHEN, 2004

ASSIM FALAVA ZARATRUSTA/ Friedrich Nietzsche – Petrópolis: Editora Vozes – 4ª edição, 2007

Wordless Books, The Original Graphic Novels / David A.Beronä • Introduction by Peter Kuper, New York: Abrams, 2008

Cinema noir: espelho e fotografia./Márcia Ortegosa – São Paulo: Annablume, 2010

GERMAN EXPRESSIONISM THE GRAPHIC IMPULSE / organized by Starr Figura, The Phyllis Ann and WalterBorten Associete Curator – New York: MOMA, 2011

Brassaï Paris / Jean-Claude Gautrand • 1899 – 1984• TASCHEN 25th anniversary

PASSIONATE JOURNEY : A Vision in Woodcuts / Frans Masereel – republication in 2007, New York: Dover Publications, Inc. / originally published: Geneva, in 1919.

GODS’ MAN : A Novel in Woodcuts / Lynd Ward – New York: Dover Publications, Inc. 1929

THE CITY : A Vision in Woodcuts / Frans Masereel, republication in 2006, New York: Dover Publications, Inc. / originally published: Munich, in 1925.

DESTINY: A Novel in Pictures / Otto Nückel, republication in 2007,  New York: Dover Publications, Inc. / originally published: Munich, in 1930.

FILM NOIR THE ENCYCLOPEDIA

Alain Silver • Elizabeth Ward • James Ursini • Robert Porfirio

New York • London

OVERLOOK DUCKWORTH, 2010

 

Acima, fica algumas sugestões de pesquisa sobre o assunto.

 

 

junho 3, 2013

Cloître des Billettes – Prorrogação

Filed under: Exposições, Meus trabalhos — Lucia Adverse @ 10:47 pm

É com satisfação que trago a notícia da prorrogação da exposição “Universo Curvo” no Cloître des Billettes, em Paris.
Para quem ainda não compareceu, fica até o dia 9 de junho.

20130603-224702.jpg

maio 24, 2013

Les courbes de l’univers – Cloitre des Billettes

Depuis le 2 mai dernier, ma série de Photo “Les Courbes de l’Univers” fait l’objet d’une exposition individuelle qui se tient au Cloître des Billettes, un vieux couvent construit en 1427, le dernier existant dans la capitale qui est situé en plein cœur de Paris, tout près de l’Hôtel de ville.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-1

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-2

C’est une très belle exposition, très bien organisée par la Galerie Ricardo Fernandes. Je suis ravie du résultat et des critiques extrêmement positives.
Le Directeur du Cloître, et commissaire de l’exposition : Thierry Renaudin-Viot, qui est aussi le directeur du Musée Victor Hugo (Place des Vosges), s’est réjouit de la parfaite harmonie entre les photos et l’architecture du couvent, faisant ainsi écho au texte de présentation de Marc Soléranski, historien et professeur d’histoire de l’Art à Paris, qui a écrit : “Non seulement la texture des œuvres est en parfaite harmonie avec celle des murs, mais les courbes des arcs gothiques combinent avec le concept de l’artiste ».

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-6

De plus, selon l’heure du jour, la lumière naturelle projette les ombres des arcs dans tous les couloirs du bâtiment où sont exposés les œuvres. C’est un cadeau divin !

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-3

Cette série de photos a été créée en 2011, en hommage à l’architecte brésilien Oscar Niemeyer, mondialement connu pour les courbes inoubliables de ses édifices. A travers des images abstraites, j’ai non seulement tenté de faire une relecture de l’univers des formes architecturales de Niemeyer, mais j’ai aussi voulu faire une référence à l’espace sidéral et aux éléments de la nature, comme les montagnes, le parcours sinueux des fleuves et du littoral de mon pays auxquels Niemeyer a si souvent fait allusion, tout au long de sa carrière artistique.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- vernissage-4

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- vernissage-6

Les titres des 20 photographies qui composent cette série ont été choisis en accord avec les éléments qui ont inspiré ce travail et qui ont déjà été cités ci-dessus.
Le choix de mots féminins en guise de titre des photos de cette série a été motivé par la sensualité présente dans les formes courbes dont parle Nimeyer dans sa célèbre phrase ci-dessous :
““Je ne suis séduit ni par les angles droits, ni par les lignes droites, dures et inflexibles crées par l’homme. Je suis séduit par les courbes libres et sensuelles que l’on trouve dans les montagnes de mon pays, dans le cours sinueux de ses rivières, dans les vagues de l’océan, dans le corps de la femme que l’on aime. L’univers tout entier est composé de courbes, c’est l’univers courbe d’Einstein”.

Oscar Niemeyer

dupla blogLa couleur bleu prédominante dans toute cette série de photos qui renvoie à la couleur du ciel et de la mer a aussi été énormément utilisée par Niemeyer dans ses projets, comme sur la fresque crée par le peintre brésilien Cândido Portinari, pour l’Eglise São Francisco de Assis, sur celle de Pampulha ou sur le mur de mosaïques réalisé par l’artiste plastique Athos Bulcão, pour l’église Nossa Senhora de Fátima à Brasília. Toutes ces constructions ont été classées et font maintenant partie du Patrimoine Historique et Artistique National. (Iphan).

dupla blog 2Le lendemain du vernissage, je suis retournée au Cloître, où j’ai passé un certain temps, pour y prendre des photos. Il a alors été très gratifiant pour moi de pouvoir observer la réaction du public face à mon travail. Cet échange, réellement indispensable pour un artiste, m’a permis de noter l’interaction des observateurs avec mes œuvres.

apaixonada

praiasinuosa - noite estreladaalegria e

C’était aussi très amusant de voir les gens se faire photographier devant mes photos.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-11

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-19

Pour terminer, j’aimerai remercier le marchand et critique d’art Ricardo Fernandes qui a fait connaître cette série “Les Courbes de l’Univers” au commissaire de l’exposition Thierry Renaudin-Viot.
Sans oublier de remercier ma famille et mes vrais amis qui sont restés à mes côtés tout au long de ce séjour, pour l’appui inconditionnel qu’ils m’ont apporté.
Je suis aussi sincèrement reconnaissante au professeur Marc Soléranski, auquel je veux exprimer ma gratitude pour le texte remarquable qu’il a écrit sur ma trajectoire artistique.
L’Exposition “Les Courbes de l’Univers” se tiendra jusqu’au 31 de mai au Cloître des Billettes.24, rue des Archives – 75003 Paris
Metro: Hôtel de Ville – Bus 75 – 58 – 69 – 74 –72 – 76 et 96
Plan
Avisez vos amis que sont à Paris, je serai très honoré de leur visite.

Traduction:

Any Collin

maio 19, 2013

Universo Curvo – Cloitre des Billettes

No último dia 2 de maio, inaugurou no Cloitre des Billettes, Paris, França, a minha exposição individual intitulada Universo Curvo. O local, trata-se de um Mosteiro Luterano, datado sua construção em 1294. É o único edifício medieval no coração da cidade, localizado bem próximo ao Hotel de Ville.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-1

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-2

A exposição ficou belíssima, muito bem organizada pela Galeria Ricardo Fernandes. Fiquei muito feliz com o resultado e com a crítica positiva.

O diretor responsável pela curadoria do Cloitre des Billettes, Thierry Renaudin-Viot, também diretor do Museu Victor Hugo (Place des Voges), elogiou como as obras tiveram uma sintonia perfeita com a arquitetura do mosteiro. “Além da textura das paredes e das obras comporem harmoniosamente, as curvas dos arcos góticos combinam com o conceito do trabalho da artista.” Completa Marc Soléranski, historiador e professor de história da arte em Paris.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-6Para completar, a luz natural projeta sombras dos arcos por todos os corredores do edifício, onde estão expostas as obras, sendo alternados de acordo com o horário do dia. Presente divino!

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-3

Essa série de fotos criadas em 2011, propõe uma homenagem ao arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer que ficou mundialmente conhecido pelos seus inesquecíveis projetos curvos. Através de imagens abstratas, faço uma releitura, não somente do universo da forma da arquitetura de Niemeyer, mas também faço referência ao espaço sideral e aos elementos da natureza, como as montanhas, o curso sinuoso dos rios e o litoral do meu país, os mesmos elementos tanto referenciado e mencionado pelo arquiteto durante sua trajetória artística.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- vernissage-4

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- vernissage-6

As 20 fotografias que integram essa série, têm nomes escolhidos de acordo com os elementos citados que inspiraram o meu trabalho.

A sensualidade presente nas formas curvas e também destacada na célebre frase do arquiteto (citada abaixo), foram motivo da escolha de palavras femininas como títulos de cada imagem que compõe a série.

“Não é o ângulo reto que me atrai. Nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual. A curva que encontro nas montanhas do meu País, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, nas nuvens do céu, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o Universo – o Universo curvo de Einstein.”

Oscar Niemeyer

dupla blog

A cor azul predominante em toda a série de fotos, remete a cor do céu, do mar, também muito utilizada por Niemeyer em seus projetos, como o painel criado pelo artista Cândido Portinari, na Igreja São Francisco de Assis, Pampulha ou o painel de azulejos do artista plástico Athos Bulcão, pertecente a Igreja Nossa Senhora de Fátima em Brasília. Ambas construções foram tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

dupla blog 2

No dia seguinte da abertura, consequentemente o primeiro dia da exposição, retornei ao mosteiro e fiquei durante algum tempo fotografando. Foi gratificante ter a oportunidade de observar a reação do público diante do meu trabalho. Esse retorno é imprescindível para o artista e registrei a interação das pessoas com as obras.

apaixonada

praia

sinuosa - noite estrelada

alegria e

Também foi divertido ver as pessoas se fotografarem junto com as obras.

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-11

Universo Curvo - Cloitre des Billettes- blog-19

Para terminar, gostaria de agradecer o marchand e crítico de arte Ricardo Fernandes que levou a série Universo Curvo ao conhecimento do curador Thierry Renaudin-Viot.

Também não poderia deixar de agradecer o apoio incondicional da minha família e de meus verdadeiros amigos ao meu lado nessa jornada.

Ao professor Marc Soléranski, o meu mais sincero reconhecimento e gratidão pelo brilhante texto escrito sobre a minha trajetória artística.

A exposição Universo Curvo, fica em cartaz até dia 31 de maio no Cloitre des Billettes.

24, rue des Archives

75003 Paris

Metro: Hôtel de Ville

Mapa

Avisem seus amigos que estiverem em Paris, ficarei muito honrada com a visita!

abril 12, 2013

FIF – Festival Internacional de Fotografia

Filed under: Dicas, Exposições — Lucia Adverse @ 6:53 pm

Evento terá exposição internacional , palestras e maratona fotográfica. Artistas podem inscrever trabalhos até 20 de maio

20130412-185420.jpg
Além da exposição, fotografias também serão projetadas ao ar livre!

Minas Gerais se firma cada vez mais no cenário fotográfico nacional, com profissionais premiados nacional e internacionalmente. E consolidando esse espírito, Belo Horizonte vai realizar a partir de julho a primeira edição do Festival Internacional de Fotografia (FIF-BH). A proposta é de um evento bianual, com exposições, palestras e outros eventos.

O tema desta edição inaugural será “Espaços Compartilhados da Fotografia”, numa proposta que reunirá trabalhos autorais com debates numa programação entre 12 de julho e 6 de agosto. O FIF-BH é idealizado pelos fotógrafos Bruno Viela e Guilherme Cunha e terá curadoria do professor Eduardo de Jesus, da PUC Minas.

“O FIF é um festival mais voltado para as poéticas visuais do que para a tecnicalidade. Mantém o respeito pela tradição da fotografia, mas privilegia o pensamento sobre o campo expandido da imagens, que explora a fotografia em diálogo com diversas outras mídias e plataformas de expressão sensível”, explica Guilherme.

O evento terá exposições, oficinas, palestras, leitura de portifólios e uma maratona pelas ruas de cidade, numa troca de experiência entre fotógrafos profissionais e iniciantes. O FIF é sediado no espaço CentoeQuatro na Praça da Estação, região Central da capital. Mas também está previsto um circuito cultural em cafés e universidades de Belo Horizonte.

A programação ainda está sendo elaborada e o FIF está com inscrições abertas para seleção da exposição internacional . Os trabalhos podem ser enviados até 20 de maio. O anúncio dos selecionados está previsto para junho.

Já estão confirmadas as palestras com estudiosos da imagem Daniella Géo, Maurício Lissovsky e André Parente. O fotógrafo mineiro João Castilho também estará no evento como organizador de uma das oficinas.

Site do Festival:
www.fif.art.br

Fonte: Autofocus

janeiro 21, 2013

1ª Mostra de Fotojornalismo Mineiro

Filed under: Exposições — Tags:, — Lucia Adverse @ 8:32 pm

Screen shot 2013-01-21 at 21.27.12

 

Crianças brincam na fonte da Praça da Estação: a foto de Leandro Couri para o jornal Estado de Minas foi uma das selecionadas

Uma tarde de calor na Praça da Estação pode não parecer uma boa ideia para a maioria das pessoas. Mas há quem veja beleza nesse cenário. Principalmente se houver duas crianças se divertindo nas fontes que brotam do chão. O fotógrafo Leandro Couri, em mais um dia de trabalho para um jornal da cidade, clicou a cena, que integra a 1ª Mostra de Fotojornalismo Mineiro.

A partir de quinta (24), a Galeria 2 do Oi Futuro vai expor 69 imagens publicadas em 2012 pelos jornais “Estado de Minas”,”Hoje em Dia”, “Metro” e “O Tempo”. São registros de casos policiais, do drama causado pelas enchentes, dos bastidores da política, e, principalmente, do cotidiano da capital. A seleção das fotos foi feita, com a ajuda dos editores de cada veículo, pelo fotógrafo e professor da PUC Minas Eugênio Sávio. Ele conta que, além de uma oportunidade de ver belas imagens de Belo Horizonte, a mostra é uma forma de homenagear o ofício dos fotojornalistas. “Para fazer boas fotos como essas, não basta ter uma câmera moderna na mão ou saber a técnica”, diz. “É preciso ter um olhar sensível e mais sofisticado.” Sávio, que também coordena o projeto Foto em Pauta (com exposições e debates sobre fotografia), afirma que o trabalho dos colegas é pouco valorizado pelos veículos brasileiros. A ideia é que a primeira edição da mostra sirva de incentivo para os profissionais e que, no ano que vem, o projeto ganhe sequência.

1ª Mostra de Fotojornalismo Mineiro.

Local: Oi Futuro – Galeria 2.

Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras,

☎ 3229-3131.

Terça a sábado, 11h às 21h; domingo, 11h às 19h. Grátis. Até 31 de março.

Fonte: Veja BH

dezembro 6, 2012

Exposição no Maison Blanche Restaurant

Se você planeja passar o final de ano em Paris, visite a minha mais recente exposição no Maison Blanche Restaurant: http://www.maison-blanche.fr

No ano passado, o proprietário do restaurante fez uma visita a minha exposição individual “Entre Luz e Fusco” na Galeria Ricardo Fernandes. Nesse ano, fizeram o convite para expor a minha série no belíssimo restaurante, localizado no endereço mais privilegiado de Paris.

A exposição dura até o dia 4 de janeiro de 2013.

Maison Blanche encarte002

novembro 19, 2012

Shanghai Art Fair 2012

Domingão, é dia de fazer almoço na minha casa, não consegui postar as fotos da feira ontem, conforme prometido no post anterior.

Abaixo, fotos da minha participação na Shanghai Art Fair, Shanghai, China.

Evento ocorrido: 31/10 a 04/11.

Escolhida para essa feira, 5 obras da série Canto, a mesma apresentada no ano passado na  Art Canton em Guangzhou, China.

Eu com as obras “Pensador”, “Veloz”, “Bela”,”Esperança”  e “Vazio”.

A assistente chinesa Catherine, eu e Ricardo Fernandes.

Eu e meu marido, Flávio Adverse.

As obras “Pensador” e “Veloz” muito bem acompanhadas pela escultura do artista Leopoldo Martins.

O stand da Galeria Ricardo Fernandes estava muitíssimo bem montado, espaço planejado e executado pelo próprio marchand. À frente, mais esculturas do artista Leopoldo Martins, ao fundo no lado direito pinturas de Adelio Sarro, lado esquerdo a irreverente fotografia “Tiffany Forever I” do casal de fotógrafos ucranianos, Vitaly & Elena Vasilieva.

A Galeria Ricardo Fernandes utilizou como tema do stand a natureza: “more nature in our lives!”

Nessa foto, esculturas do Leopoldo Martins, minhas obras da série Canto e fotos “Zebra”, Vitaly & Elena Vasilieva.

Catálogos: o vermelho da Galeria Ricardo Fernandes, o branco com cerca de 400 páginas e pesando quase 3 quilos, é o catálogo oficial da Shanghai Art Fair.

Fiquei impressionada com a estrutura, o tamanho e o movimento dessa feira. São 4 andares repletos de pinturas, esculturas, fotografias e cerâmicas, pois os chineses são famosos pelos seus vasos de cerâmica e na Shanghai Art Fair têm uma belíssima variedade deles. Nossa mostra (se permitem-me assim dizer…) situou-se no andar das galerias estrangeiras e o movimento no stand da galeria era intenso.

Devido ao sucesso da exposição, a Galeria Ricardo Fernandes foi convidada para expor em 2013 no primeiro andar, local privilegiado, ocupado somente por galerias chinesas de prestígio.

novembro 17, 2012

ART CANTON 2012

Conforme relatei em posts anteriores, nos dois últimos meses tive o privilégio de ser convidada pela Galeria Ricardo Fernandes, com sede em Paris, para participar de duas feiras de arte chinesas. A primeira aconteceu em outubro, em Guangzhou, participei pelo segundo ano consecutivo, vocês podem ver mais detalhes clicando nos links abaixo:

Art Canton 2011

Art Canton 2012

Infelizmente não tive a oportunidade de conhecer Guangzhou, mas recebi do marchand Ricardo Fernandes, alguns registros desse evento . Logo abaixo, compartilho algumas dessas fotos com vocês!

 

Site da feira:

www.artcanton.com

Amanhã coloco no blog, as fotos da minha participação na outra feira chinesa, a Shanghai Art Fair, realizada nesse mês de novembro em Shanghai. Até lá!

outubro 12, 2012

Art Canton 2012

Inaugurou ontem a Art Canton 2012 em Guangzhou, China. Participo pelo segundo ano consecutivo dessa feira de arte, representada pela Galeria Ricardo Fernandes. No ano passado coloquei esse post aqui.

Nesse ano foram selecionadas 6 obras da série “Moulin Rouge”. Essa série pertence a uma fase ilusionista do meu processo criativo, é fruto da minha imaginação, é ausência e presença do real. A partir de fotos com enquadramento fragmentado do Moulin Rouge, tradicional casa noturna parisiense, construí uma série de imagens surreais. A cor foi a principal característica que motivou-me criar esse trabalho. Naquela hora da manhã, o tom azul do céu era próximo ao ciano. O vermelho do moinho fazia um grande contraste com o céu azul, originando em uma imagem constituída por duas cores complementares. Há algum tempo pesquiso sobre a força da cor no processo criativo.

CANCAN

Essa série nasceu de vários enquadramentos do moinho que juntos se transformaram numa composição gráfica e visualmente atrativa. Os títulos das obras estão intimamente relacionados com o Moulin Rouge, sua época e em uma delas faço uma homenagem a Henri de Toulouse Lautrec, pintor pós-impressionista, conhecido por pintar a vida boêmia de Paris do final do século XIX e assíduo frequentador do cabaret. Toulouse-Lautrec revolucionou o design gráfico dos cartazes publicitários da época, ajudando a definir o estilo que  posteriormente seria conhecido como Art Nouveau. Qualquer dia desses, abordo esse movimento artístico por aqui, responsável por uma característica marcante na arquitetura de Paris.

MONTMARTRE

Tamanho das obras: 90 x 135cm

Site feira: www.artcanton.com

outubro 4, 2012

Nova exposição em Paris

Filed under: Exposições, Meus trabalhos — Lucia Adverse @ 6:42 pm

20121004-184141.jpg

outubro 2, 2012

Fundação Helmut Newton – Berlim

Como disse ontem, hoje irei mostrar um pouco da Fundação Helmut Newton (Helmut Newton Foundation), localizada em Berlim, cidade natal do fotógrafo.

Helmut Newton nasceu no 31 de outubro de 1920, registrado como Helmut Neustädter, foi um fotógrafo de moda alemão, naturalizado australiano, famoso por seus estudos de nus femininos.  Filho de um fabricante de botões judeu-alemão e de uma americana. Desde muito jovem – com 12 anos adquiriu sua primeira câmera – interessou-se por fotografia, tendo trabalhado para o fotógrafo alemão Yva (Else Neulander Simon).

Com as restrições cada vez mais opressivas colocadas aos judeus pelas leis de Nuremberg, seu pai perdeu o controle da fábrica de botões e foi internado em um campo de concentração em “Kristallnacht”. Em 1938, o fotógrafo fugiu da Alemanha para escapar à perseguição nazista aos judeus. Depois de sua emigração, tornou-se conhecido como Helmut Newton, um dos fotógrafos mais famosos em todo o mundo. Trabalhou por algum tempo em Cingapura, como fotógrafo da Straits Times, antes de se estabelecer em Melbourne, Austrália. Ao chegar à Austrália, ficou internado em um campo de concentração, assim como muitos outros “estrangeiros inimigos”. Posteriormente serviu ao exército australiano como motorista de caminhão, durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1946, instalou um estúdio fotográfico no qual trabalhou principalmente com moda, nos afluentes anos pós-guerra. Pouco tempo depois tornou-se cidadão australiano. Nos anos seguintes viveu em Londres e Paris, e trabalhou para a Vogue francesa. Criou um estilo particular na fotografia, marcado pelo erotismo. Sua notoriedade aumentou nos anos 80 com a série “Big Nudes”.

Passou os últimos anos de sua vida em Monte Carlo e Los Angeles. Morreu em janeiro de 2004, com 83  anos, vítima de um acidente de automóvel na Califórnia. Suas cinzas foram enterradas em Berlim.

A Fundação Helmut Newton: localizada na sede do novo Museu da Fotografia em Berlim, inaugurou no mesmo ano da morte do fotógrafo.

Desde que deixou sua cidade natal por causa dos nazistas, Berlim nunca saiu da cabeça de Helmut Newton. Segundo sua mulher, June, ele “sempre teve muitas saudades de Berlim e queria voltar para casa”. Talvez por isso, Newton tenha escolhido Berlim como o lar para mais de mil de suas caras e cobiçadas fotografias. Até sua morte, o fotógrafo participou ativamente da organização da fundação. Em outubro de 2003, ele doou não apenas seu arquivo à cidade, mas também o dinheiro para a reforma do antigo prédio próximo à estação Berlin Zoo, sede do novo Museu da Fotografia, que divide o espaço com a Fundação Helmut Newton, responsável pela coleção.

As fotos desse post, com exceção do retrato do fotógrafo e as imagens do livro Sumo que mostrarei a seguir, foram feitas com o iPhone durante a minha visita, onde tive a companhia do meu marido e do meu filho residente temporariamente em Berlim.

Em 1999, lançou o livro lendário de fotografias Sumo, batendo todos os recordes no mercado editorial devido às suas dimensões: peso = 35, 4 kg  tamanho = 50x70cm.  Foi criada também, para facilitar o seu manuseamento, uma mesa articulada própria. Na Fundação Helmut Newton é possível ver um exemplar desses ao vivo, assim como todos os livros lançados do fotógrafo. Em uma última sala, também é possível conhecer os artistas preferidos de Helmut, nesse local encontram-se seus objetos pessoais, câmeras e livros da sua coleção.

O livro foi publicado numa edição limitada, 10.000 exemplares,  numerada e assinada pelo autor.

Na época do seu lançamento o preço do livro era de 3.000 marcos alemães (aproximadamente 1.530 euros), mas devido ao valor que lhe foi atribuido por colecionadores, seu valor chegou aos 10.000 marcos (aproximadamente 5.110 euros) por exemplar. O SUMO é considerado o maior e o livro mais caro do século XX, a partir do momento em que o exemplar com o número 1 atingiu os 620.000 marcos (317.000 euros) num leilão.

Em 2010, o clássico foi reeditado pela Taschen, com as melhores cenas clicadas pelas lentes de Newton. Com 464 páginas, a nova edição custa cerca de R$ 499 no Brasil.   A nova versão vem com um suporte charmoso de acrílico que fica lindo sobre a mesa da sala. Adquiri o meu exemplar na Livraria Mineiriana em Belo Horizonte, onde também é possível comprar pela internet:

http://www.mineiriana.com.br/

setembro 13, 2012

Game of Arts

Filed under: Dicas, Exposições, Meus trabalhos — Tags:, — Lucia Adverse @ 10:33 am

Nesse próximo final de semana, acontece em grande estilo um evento no Château-Bouffémont, há poucos quilômetros de Paris. Se trata de um jantar requintado direcionado para colecionadores de artes. No interior do castelo, terá uma exposição com obras de 20 artistas, onde sinto-me honrada de fazer parte do seleto grupo.

O convite pode ser comprado pelo site: www.gameofarts.com

Por apenas 100 euros, o visitante terá direito ao ingresso ao castelo, jantar, bebidas, translado de limousine de Paris ao Château e shows apresentados durante a noite. Haverá venda das obras de arte durante o evento e parte da renda será doado à caridade.

Sugestão de menu:

LOCAL: Château Bouffémont
DATA: 15 de setembro de 2012 (Sábado)
ENDEREÇO: 8 Rue Léon Giraudeau, 95570 Bouffémont
PROGRAMAÇÃO: 19:00 – 23:00 – Exposição de Arte & Dinner Cocktail
23:00-03:00 – After Party Arte
MÚSICA POR: Soulplay
Toni Vegas
Preço: 100 €
Estacionamento: Estacionamento com manobrista (Voiturier)
TRANSPORTE: transporte de ida e volta grátis disponível

Para maiores informações clique no site:

www.gameofarts.com

agosto 26, 2012

TOUCHER POUR VOIR?

No dia 5 de setembro, inaugura na Cloître des Billettes, (Paris –  França), a emocionante exposição do artista Adelio Sarro direcionada aos deficientes visuais.

Considerada a primeira exposição de arte contemporânea acessível a deficientes visuais, nasceu do desejo do artista brasileiro Adélio Sarro, permitir que pessoas com  esse tipo de deficiência tenham a oportunidade de compreender e acessarem o seu trabalho.
Adélio Sarro desenvolveu o seu próprio método para tornar sua arte acessível através da percepção tátil. O contorno das suas pinturas são em relevo, assim como o alfabeto Braille e auxiliam na compreensão dos visitantes. Além das figuras, o expectador também pode tocar e sentir  as cores representadas pelas diferentes texturas e relevos que compõem as obras.

 

O artista:

Nascido em 1950, Andradina, SP,  é filho de agricultores de origem italiana e portuguesa. Desde tenra idade demonstrou inclinação e gosto para o desenho.

No início da carreira deslumbrou-se com a obra de Cândido Portinari e inspirou-se nesse artista. No começo teve grande dificuldade, fazia, refazia, destruia o próprio trabalho em busca de chegar a um nível satisfatório para si mesmo. Na década de 70,  o artista começou a expor seus trabalhos nas feiras de domingo realizadas na Praça da República no centro de São Paulo. Não era o local mais ambicionado pelos pintores, mas lá ganhavam visibilidade, clientes – inclusive turistas estrangeiros, faziam amizade e trocavam experiências com outros artistas. Também ali surgiam oportunidades de novas exposições que o artista soube aproveitar. Assim aconteceram, a partir de 1973, participações em mostras coletivas e individuais em São Paulo, Limeira, Piracicaba, Santos e mais outras dez cidades brasileiras.

Tornando-se cada vez mais conhecido em 1981, Adélio Sarro foi convidado para organizar seis diferentes mostras no Japão, era seu batismo como pintor internacional. Dois anos depois foi para a Itália e, nos anos seguintes, o Japão novamente, Uruguai, Argentina, França, Estados Unidos, Portugal, Nicarágua, Suíça, Alemanha, Bélgica, Noruega, Cingapura e Austrália.

Ganhando notoriedade como artista, Adélio Sarro foi desenvolvendo técnicas novas, atendendo encomendas de instituições públicas e privadas. A primeira instituição que lhe encomendou um trabalho de grande formato foi a Federação da Agricultura do Estado de Goiás para a qual, em 1984, Sarro pintou um painel de dois metros e meio por seis.

A exposição acontece na Cloître des Billettes, em um magnífico mosteiro em Paris, com curadoria de Thierry Renaudin. A organização da amostra é do seu marchand Ricardo Fernandes, proprietário da Galerie Ricardo Fernandes.

Localização: 24 rue des Archives

Metrô: Hotel de Ville

Paris, França

Data: De 3 de setembro a 3 de outubro de 2012.

agosto 19, 2012

II Semana da Fotografia BH

Hoje, dia 19 de agosto, comemora-se o dia mundial da fotografia. Desde 2010, um grupo de fotógrafos em parceria com o Centoequatro, comemora essa semana organizando exposições, palestras e projeções. No ano passado, esse evento profissionalizou-se e cresce a cada ano.

Clique na imagem abaixo e baixe o catálogo com a programação completa:

A fotografia mineira vive um momento de particular efervescência. A criação do Fórum Mineiro de Fotografia Autoral em janeiro de 2010 conseguiu reunir e mobilizar um grupo de fotógrafos dispostos a discutir políticas públicas voltadas ao fomento da atividade na cidade e no Estado. Esta mobilização resultou no aumento do numero de exposições e ações voltadas à fotografia na cidade. Palestras, debates, ações de intervenção urbana, exposições, ocupações e outros pensamentos sobre o fazer fotográfico, tem ocupado a cidade há um bom tempo. O aumento no número de editais voltados as Artes Visuais, que inclui a Fotografia em suas diversas possibilidades, documental, autoral, experimental, cientifica, vernacular, amadora, a fotografia pode ser tantas coisas que ainda nos surpreendemos com a sua versatilidade.

O segredo estará na intenção do autor? Posso fazer o que eu quiser?

Nesta segunda edição, apresentamos um recorte da produção mineira contemporânea. A partir de um edital publico voltado ao fotografo nascido ou residente em Minas Gerais, apresentamos 20 autores cujas imagens serão conhecidas na exposição do Centoequatro e futuramente aqui. Confiram a programação de palestras e exposições além de uma parte do que acontece na cidade neste mês de agosto de 2012.

Créditos: www.semanadafotografiabh.com.br

agosto 16, 2012

DU TEMPS LIBRE POUR L’ART

Acontece hoje em Paris, a vernissage da amostra DU TEMPS LIBRE POUR L’ART, a qual reúne o trabalho de 6 artistas representados pela Galerie Ricardo Fernandes.

São eles: Antonio Sérgio Moreira, Felipe Fontoura, Leopoldo Martins, Lucia Adverse, Roland Schmitz e Sérgio Bello.

“Durant toute l’année le temps nous manque, dicte nos choix et nos envies. Nous courons, nous planifions, le cadrant rythme nos quotidiens. La vie est en cela fabuleuse, stimulante et oppressante à la fois. Il est toujours redouté ce temps perdu qui ne se rattrape pas. 

Alors profitons de cette période estivale pour prendre le temps. Laissons nous le champ libre pour apprécier, admirer. 
Ces artistes de différents horizons ont pour facteur commun de travailler minutieusement, consciencieusement à la production de leurs œuvres. Le temps de l’Artiste ne compte plus lorsqu’il s’agit de créer. 

Que les heures ne nous soient plus compter afin de prendre du temps libre pour l’Art.”

Ricardo Fernandes

Uma oportunidade de mostrar mais uma vez, a série de minha autoria intitulada “Canto”,  já apresentada no ano passado na Art Canton em Guangzhou, China. Na época, escrevi um post sobre o trabalho, veja clicando aqui.

Essa série de fotos traduz um apelo da natureza à vida, que sofre de um esgotamento sem fim, um questionamento sobre a exploração do meio ambiente.

Série Canto 

Título obra: Escalador

“Après nous avoir surpris avec ses ombres et lumières jouant sur des parcelles d’architecture et avec ses jeux de formes et de couleurs, Lucia Adverse nous entraine maintenant dans un merveilleux voyage au sein même de la nature. Adoptant le noir et blanc et jouant avec les gris pour donner aux arbres une autre poésie, celle des formes et des lignes, elle nous propose son propre regard sur l’Afrique. Puis, se jouant des contrastes du noir et blanc et de la couleur, elle réinvente pour nous la relation entre l’arbre et l’oiseau, entre le réel et l’irréel.”

Any Collin

Na semana que vem, parte da série também será apresentada na amostra CASA CONFORTO INTERIOR, em Tiradentes.

A amostra fica de 23 de agosto a 29 de setembro na Achados do Brasil.

Curadora: Ines Muller

Endereço: Rua Cadeia, 18 – Tiradentes – M.G

Telefone: 32 33551522

agosto 15, 2012

Foco in Cena

Ontem tive o prazer e o privilégio de presenciar o pré-lançamento do site Foco in Cena.

É a realização de um sonho do querido amigo, o fotógrafo Guto Muniz.

Durante seus 25 anos de carreira, Guto especializou em fotografar as artes cênicas e muito contribuiu catalogando e guardando toda uma história do teatro mineiro. O que resultou foi um site completo, com informações sobre o teatro e totalmente interativo. O site entrará no ar à zero hora do dia 19 de agosto, Dia Mundial da Fotografia e Dia do Ator. Quem compareceu ontem ao pré-lançamento no Memorial Minas Gerais Vale, conseguiu ver uma prévia de como será o site.

O endereço do site é www.focoincena.com.br

 

 

Para quem não foi ao lançamento, não deixe de comparecer ao Memorial Minas Gerais Vale. Além de ser um belíssimo museu, o fotógrafo Guto Muniz está com a exposição Foco in Cena, onde comemora os seus 25 anos de carreira, voltada para a fotografia das artes cênicas.

Imperdível!

A exposição ficará aberta ao público até 30 de novembro.

Atendimento das 9 às 19h.

abril 4, 2012

Boletim Cultural da Embaixada Brasileira em Paris

Filed under: Exposições — Tags: — Lucia Adverse @ 6:16 pm

Para ter acesso a programação cultural completa da Embaixada Brasileira na França, clique no link abaixo:

Bulletin culturel du 4 avril 2012 – Ambassade du Brésil

Older Posts »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.