Luciaadverse's Blog

fevereiro 25, 2011

Curiosidade no Foto em Pauta Tiradentes

Filed under: Curiosidades — Tags:, , , — Lucia Adverse @ 12:45 pm

Essa reportagem saiu hoje no Jornal O TEMPO e foi escrita pelo nosso amigo, fotógrafo e jornalista Leonardo Lara:

Uma cidade, um encontro

LEONARDO LARA

Nasceu em Tiradentes a primeira foto, feita por uma máquina digital que fala, impressa em um papel fine art, desses que são feitos simplesmente com 100% em algodão. Colocada em leilão diante de tantos olhares famintos e ansiosos pelo desfecho, foi vendida a um colecionador persistente aos lances e que entendeu que acabava de adquirir uma verdadeira obra de arte contemporânea. Uma obra de autor, na verdade, como se define o carioca Claudio Edinger, fotógrafo acostumado com câmeras de uso extremamente complicadas, como são as de 4×5 de chapa única que precisam ser colocadas em tripé, e um clique se torna a imagem definitiva. “Quanto mais complicado melhor”, diz o mago e agora profeta, que andou por lá anunciando que o futuro será o iphone10, e que marcou história ao fazer de uma imagem da cidade, através de seu celular, o ícone do primeiro encontro nacional de fotografia do ano, o Foto em Pauta.
Pedaço de papel. O colecionador Ataíde Vaz revelou que não podia deixar aquela imagem sair de Minas, certo que queria ter nas mãos aquele pedaço de papel, que deve durar pelo menos uns 300 anos e que, naquele momento, representava tudo o que foi falado e mostrado. Assim, acirrou a disputa pelo lance, o que atraiu a atenção das pessoas presentes que estavam ao redor da recente e já famosa imagem.
Importante lembrar que essa história de imagem por celular não é novidade: Damon Winter, fotojornalista do “The New York Times”, já experimentara no Afeganistão o uso do celular ao aplicar um app Hipstamatic (uma espécie de máscara de efeito dramático sobre a imagem), polemizando, assim, o assunto em torno de um fotojornalismo autoral. Seria possível? Antônio Galdério, da “Folha de S.Paulo”, também se utilizou do celular como alternativa para sua busca em território boliviano. “Viveremos em breve um mundo apenas de celulares, tablets e notebooks”, já anunciava Dov Moran, o criador do pen drive.
Mas o que aconteceu naquele dia histórico em Tiradentes foi o fato de um veterano, ao utilizar uma câmera simples, ágil e com limitada resolução (5MB) – que ainda serve para outras coisas e que cabe no bolso -, ter dado um novo significado para a fotografia digital. A imagem feita pelo celular do experiente ensaísta captou uma Tiradentes mais contemporânea do que nunca.
Essência. A autoria foi a essência do festival Foto em Pauta Tiradentes, que promoveu o encontro de fotógrafos e amantes da fotografia com muitos workshops, palestras, lançamentos de livros e leituras de portfólio. Muitos nomes compareceram para prestigiar, aprender, discutir e conhecer o que se fala hoje de fotografia brasileira. Todas as minhas referências estavam passeando levemente pela cidade mais charmosa de Minas, trocando informações, afetos e um bom papo, o que alimentava não apenas a mim, mas a todos, ao ponto de esquecermos o horário do jantar.
Uma coletânea expressiva de cem imagens cuidadosamente alinhadas por Tibério França, um dos curadores da 2ª Mostra Mineira de Fotografia, já apresentava o tom do encontro, pois conseguiu uma diversidade de expressões de fazer qualquer visitante pensar sobre fotografia. Na minha primeira noite por lá, descobri que a pedra acabara de ser reinventada por Pedro David, em sua forma de expor o seu trabalho “O Homem Pedra”. Dentro de uma escultura de madeira, uma luz se projetava carregando imagens que se movimentavam até encontrar uma superfície naturalmente ondulada, onde continuavam a se movimentar. Ao fundo, impresso naquele tal papel de algodão e presas por imãs, as imagens de pedras de Pedro. Pedras de talento, eu diria. Afinal, Pedro David é reconhecido por nós e por outros como um valor de expressão, um autor.
Outro assim e muito próximo do pensamento reinante no festival, João Castilho, premiado e reconhecido como um valor expoente, consegue, em uma mesa de bar, atiçar mais ainda a cabeça de seus amigos Pedro: David e Motta. “Quem começa primeiro?”, questionava, referindo-se à ordem para uma apresentação de seus trabalhos a uma plateia que lotava a cada momento. Era muita gente, uns 300 por vez. A troca foi intensa e a exposição também. Um sentimento de satisfação e uma necessidade de foco a partir daquele momento em direção ao autoral já era notada nas pessoas.

 

fevereiro 16, 2011

Festival de Fotografia Foto em Pauta Tiradentes

Filed under: Dicas — Lucia Adverse @ 9:14 am

Acontece hoje a abertura do Festival de Fotografia Foto em Pauta Tiradentes no Centro Cultural Yves Alves e IPHAN, 19:30h com a II Mostra Mineira de Fotografia.

“A II Mostra Mineira de Fotografia acontece 28 anos após a primeira, que ocorreu em 1982 no Palácio das Artes, em Belo Horizonte, reunindo um pequeno grupo de fotógrafos atuantes no Estado naquele momento, entre amadores avançados e profissionais do fotojornalismo. Esta segunda coletiva reunirá de 16 a 27 de fevereiro 100 fotografos nascidos ou residentes em Minas. Cinco curadores foram convidados para fazer a seleção do que será exposto: Guto Muniz, Elmo Alves, Leonardo Lara, Miguel Aun e Tibério França. Cada um com uma formação diferente, valorizando assim a pluralidade de olhares, a diversidade de abordagens sobre o mundo, que somente a fotografia proporciona de forma tão democrática.

Sem uma linha temática e sem pré-determinações específicas, esta mostra coletiva apresenta um recorte da produção fotográfica mineira atual, sem a pretensão de ser abrangente, definitiva ou totalizante. Os 100 fotógrafos selecionados apresentam universos distintos, carregados de uma poética visual particular, capaz de proporcionar ao visitante uma viagem por tempos e espaços deslocados do regionalismo montanhoso de Minas Gerais. São imagens do mundo, de um mundo sem fronteiras, que não se limita ao barroco das igrejas ou ao minério das montanhas. O fotógrafo mineiro é contemporâneo e dialoga com todo o planeta. A linguagem sem texto das imagens fala a língua universal do afeto por um mundo sem limites, infinito.

Realizar esta exposição em Tiradentes tem um sabor completamente diferente. A cidade traz referências de um tempo passado, sendo simultaneamente atual. Este paradoxo contribui para a degustação silenciosa das imagens generosamente cedidas por estes 100 fotógrafos. Aproveitem.

Tibério França”


fevereiro 12, 2011

Cristiano Mascaro

Filed under: Dicas — Tags:, , — Lucia Adverse @ 6:58 pm

Para quem perdeu a manhã hoje com o fotógrafo Cristiano Mascaro, aí vai uma dica:

Na próxima semana o fotógrafo dará um workshop em Tiradentes durante o Festival de Fotografia FOTO EM PAUTA TIRADENTES.

Mais detalhes? Clique aqui.

Blog no WordPress.com.