Luciaadverse's Blog

dezembro 25, 2010

Série Polaroid – Nº15 – Feliz Natal!

Filed under: Polaroids — Lucia Adverse @ 11:02 pm

Nunca é tarde para desejar um Feliz Natal!


Anúncios

dezembro 14, 2010

Série Polaroid – Nº14 – Albert Einstein

Filed under: Poesias-Pensamentos-Frases-Reflexões, Polaroids — Tags:, , , — Lucia Adverse @ 1:49 pm

Albert Einstein

“Cem vezes por dia eu me lembro de que minha vida interior e minha vida exterior dependem do trabalho que outros homens estão fazendo agora. Por causa disso, preciso esforçar-me para retribuir pelo menos uma parte desta generosidade e não posso deixar nenhum minuto vazio”.

“O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário.”

“Não tentes ser bem sucedido, tenta antes ser um homem de valor.”

“No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade.”

“A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original.”

“Se os fatos não se encaixam na teoria, modifique os fatos.”

” A ciência sem a religião é manca, a religião sem a ciência é cega.”

“Só há duas maneiras de viver a vida: a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem; a segunda é vivê-la como se tudo fosse milagre”.

“Em momento de crise, só a imaginação é mais importante que o conhecimento”.

“A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro.”

“Se, a princípio, a ideia não é absurda, então não há esperança para ela.”

“Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito.”

“Penso noventa e nove vezes e nada descubro; deixo de pensar, mergulho em profundo silêncio – e eis que a verdade se me revela.”

“Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.”

 

 

 

 

dezembro 9, 2010

Série Polaroid – Nº13 – Miró

Filed under: Arte, Poesias-Pensamentos-Frases-Reflexões, Polaroids — Tags:, , , — Lucia Adverse @ 8:17 am

Joan Miró

Palavras de Joan Miró…

“Creio que, depois do grandioso movimento impressionista francês – um canto à vida e ao otimismo – depois do movimento pós-impressionista, da coragem dos simbolistas, do sintetismo fauvista e da dissecação do cubismo e do futurismo, depois de tudo isso, teremos uma arte livre e todo o interesse estará centralizado na vibração do espírito criador. Esse movimento moderno de análise vai elevar o espírito para uma liberdade luminosa.”

“O surrealismo liberava o inconsciente, exaltava o desejo, concedia mais poderes à arte. As alucinações substituíram o modelo exterior. Eu pintava como em um sonho, com absoluta verdade.”

“Eu nunca sonho quando durmo, só quando estou acordado “.

“Trabalhar muitíssimo e viver a vida, fazer um passeio na montanha ou olhar uma bela mulher; ler um livro, ouvir um concerto; que tudo isso alimente meu espírito para que sua voz se torne mais forte. E, principalmente, queira Deus que não me falte a Santa Inquietude! Graças a ela os homens avançaram.”

“Mais importante do que a obra de arte propriamente dita é o que ela vai gerar. A arte pode morrer; um quadro desaparecer. O que conta é a semente.”

“Um cigarro e uma caixa de fósforos contêm uma vida secreta muito mais intensa que certos seres humanos.”

“A Guerra Civil acarretou bombardeios, mortes, pelotões de fuzilamento; eu quis registrar de algum modo aqueles tempos tristes e dramáticos. Mas tenho de confessar que não tinha a intenção de pintar minha própria Guernica.”

“Eu era incapaz de desenhar. Não conseguia distinguir uma reta de uma curva. Galí me fez pintar uma natureza-morta composta de objetos quase sem cores: um copo de água, um cubo, uma batata. Pois bem, fiz um por-do-sol!”

dezembro 6, 2010

Série Polaroid – Nº12 – Monet

Arrojado, atrevido, apaixonado, trabalhador incansável, amante da boa vida, aglutinador de talentos… Claude Monet foi tudo isso e muito mais. Seus 86 anos de existência foram vividos com uma intensidade tal que parece ter vivido muitas vidas numa só. Passou pelas dificuldades econômicas dos jovens pintores da sua época, mas desfrutou a riqueza de sua consagração como artista e as mais altas honras cívicas de seu país. O mais célebre entre os pintores impressionistas, nasceu em Paris, 14 de novembro de 1840.

O termo impressionismo surgiu devido a um dos primeiros quadros de Monet, “Impressão, nascer do sol”, a partir de uma crítica feita ao quadro pelo pintor e escritor Louis Leroy:

“Impressão, nascer do Sol” – eu bem o sabia! Pensava eu, justamente, se estou impressionado é porque há lá uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha.” .

A expressão foi usada originalmente de forma pejorativa, mas Monet e seus colegas adotaram o título, sabendo da revolução que estavam iniciando na pintura.

É um dos meus pintores favoritos na história da pintura. Durante a minha seleção de fotos polaróides, encontrei algumas imagens que lembram algumas de suas pinturas.

Claude-Oscar Monet

De Monet pode-se dizer que é o pintor da luz, da água, mas sobretudo, do “instante”. “Trabalho muito para conseguir o que procuro: a instantaneidade”, confessou o pintor em uma carta a seu negociante mais fiel, Durand-Ruel.

“Meu propósito é oferecer apenas as coisas das quais estou plenamente satisfeito.”

” Ai de mim, […] quanto mais vejo, pior se torna a hora de representar o que sinto. Digo a mim mesmo: quem diz ter acabado uma tela é terrivelmente orgulhoso, entendendo por acabar completar a obra, deixá-la perfeita.”

“Ainda que sejamos bons, ficamos preocupados demais com o que se vê e se ouve em Paris; em compensação, acredito que o que farei aqui tem o mérito de não se parecer com o de ninguém.”

“As cores são minha obsessão, meu divertimento e meu tormento de todos os dias.”

“Para mim, uma paisagem não existe por si só, visto que sua aparência muda a todo instante; mas a atmosfera que a cerca a concede vida – a luz e o ar que variam continuamente. Para mim, é somente a atmosfera ao redor que revela seus verdadeiros valores.”

“Com o passar do tempo, abri meus olhos e, então, compreendi verdadeiramente a natureza e aprendi a amá-la.”

“(…) Meu único mérito foi o de ter pintado diretamente da natureza com o objetivo de exprimir minhas impressões diante dos efeitos mais fugidios (…).” Carta para Evan Chateris, 1926.

“Todos discutem minha arte e fingem compreender, como se fosse necessário compreendê-la, quando é simplesmente necesssário amar.”

“Cada vez fico mais furioso diante da necessidade de representar o que experimento, e juro a mim mesmo que não seguirei tão impotente, porque parece que posso fazer grandes progressos.”

“Encontro-me estupidamente atacado por reumatismo […] O que me aflige é pensar que tenha de renunciar a desafiar qualquer clima e não trabalhar fora, salvo com bom tempo. Que estupidez é a vida!”

 

dezembro 3, 2010

Série Polaroid – Nº11 – Mahatma Gandhi

E por falar em Mahatma Gandhi… aqui suas sábias frases.

Mahatma Gandhi

“Olho por olho e o mundo acabará cego.”

” A força da verdade é infinita “.

“O meu patriotismo não é exclusivo. Engloba tudo. Eu repudiaria o patriotismo que procurasse apoio na miséria ou na exploração de outras nações. O patriotismo que eu concebo não vale nada se não se conciliar sempre, sem exceções, com o maior bem e a paz de toda a humanidade.”

“Só quando se vêem os próprios erros através de uma lente de aumento, e se faz exatamente o contrário com os erros dos outros, é que se pode chegar à justa avaliação de uns e de outros.”

“Aquele que não é capaz de governar a si mesmo, não será capaz de governar os outros.”

“Um aprendizado acadêmico, não baseado na prática, é como um cadáver embalsamado, talvez para ser visto, mas que não inspira nem nobilita nada.

“Felicidade é quando o que você pensa, o que você diz e o que você faz estão em harmonia.”

dezembro 2, 2010

Série Polaroid – Nº10 – Andy Warhol

Andy Warhol, o famoso design gráfico, ficou conhecido como o pai do movimento Pop Art. Figura excêntrica, referia-se a si mesmo como um “recriador”. Colecionou frases durante a sua vida que ficaram muito conhecidas e transcrevo algumas delas aqui no blog.

Durante um período, fiz um curso de estamparia em uma Universidade. O tema proposto: Índia. Inspirei o meu trabalho na figura do Mahatma Gandhi, líder pacifista e principal personalidade da Índia. Na época, havia feito uma pesquisa sobre Andy Warhol e meu trabalho acabou tendo uma influência do movimento Pop Art.

Esse trabalho e pesquisa me motivou a continuar construindo outras estampas (a partir das minhas fotografias de natureza) que agradaram muito uma estilista.

Andy Warhol

“Um artista é alguém que produz coisas que ninguém precisa ter, mas que ele, por alguma razão, pensa que seria uma boa idéia oferecer às pessoas.”

“Realmente não me interessam tanto as belezas. Do que realmente gosto é de conversadores. Para mim, os bons conversadores são umas belezas porque o que adoro na realidade são as boas conversas. Mesmo a palavra demonstra porque prefiro os conversadores às belezas, porque gravo mais do que filmo. Os conversadores fazem algo; as belezas são algo. É muito mais divertido estar com gente que sabe coisas.”

“Se você quiser saber tudo sobre Andy Warhol, simplesmente olhe para a superfície das minhas pinturas e filmes e para mim e aí estou. Não há nada por trás disso.”

“Todo mundo no futuro terá seus quinze minutos de fama.”

“Eu sou uma pessoa profundamente artificial.”

“Acho que tenho uma interpretação muito livre de trabalho, porque penso que estar vivo já dá tanto trabalho que não queremos fazer mais nada.”

“A arte suprema é o negócio.”

“Dizem que o tempo muda as coisas, mas é você quem tem de mudá-las.”

“Eu acordo toda manhã. Abro os olhos e penso: lá vamos nós de novo.”

“Quando EU me olho no espelho, só sei que não me vejo como os outros me vêem.”

“Se alguma coisa é decepcionante eu sei que essa coisa não é “nada”, porque o “nada” não é decepcionante.”

“Eu quero morrer de jeans.”

“Assim que você para de querer alguma coisa, você consegue aquilo.”

“As atrações mais excitantes são entre dois opostos que nunca se encontram.”

“As pessoas fazem um grande estardalhaço sobre o amor pessoal. Não precisa se uma coisa tão grande. Igual a viver – as pessoas fazem um grande estardalhaço sobre isso também.”

“Gente de sorriso bonito me fascina. Você tem de se perguntar o que faz elas sorrirem tão bonito.”

“Até mesmo belezas podem ser pouco atraentes. Se você pega uma beleza na luz errada na hora certa, esqueça.”

“Acho que possuir terra e não estragar a terra é a arte mais bonita que alguém jamais pode querer possuir.”

“Nunca se pode prever quais as pequenas coisas na aparência, na maneira de falar ou de agir que vão despertar reações emocionais peculiares nos outros.”

“Quando você está envolvido mesmo, de verdade, com alguma coisa, você quase sempre pensa em alguma outra coisa. Quando alguma coisa está acontecendo, você fantasia sobre outras coisas.”

“O que faz uma pessoa passar tempo ficando triste quando pode ser feliz?”

“Uma pessoa pode chorar ou rir. Sempre que você está chorando, você poderia estar rindo, a escolha é sua.”

“Prefiro ter a coisa agora ou saber que nunca vou ter, assim não tenho de pensar nela.”

dezembro 1, 2010

Série Polaroid – Nº9 – Edward Steichen

Não dá para falar de Alfred Stieglitz, straight photography, arte, fotografia e esquecer de mencionar Edward Steichen que foi outro grande fotógrafo totalmente envolvido e defensor da arte na fotografia. Em 1955, organizou a exposição The Family of Man, no Museu de Arte Moderna de Nova York (MOMA). Em um post mais antigo fiz indicações de três preciosos livros que possuo desse artista. Para ler o post completo clique aqui.

Edward Steichen

“I wanted to work with business, like an engineer.”

“The making of beautiful objects and things of ornament, and even of utility, have practically been banished from the realm of art to the more active and more lucrative scope of commerce.”

Vale lembrar que todas as polaróides são de minha autoria. Através de algumas imagens pré-selecionadas, tento fazer uma relação entre o que já produzi e o trabalho do artista. A relação pode ser com as frases descritas em cada post ou uma leve semelhança ou lembrança com alguma das obras ou tema desenvolvido pelo artista ao longo de sua vida.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.